5/2/2021

Como escolher o plano de saúde ideal para você

Entender quais são os ingredientes de um produto é se informar sobre o que você está consumindo, mas também saber pelo que está pagando. Pensando nisso, nossa sugestão é fazer esse exercício com os planos de saúde disponíveis no mercado. Assim você entende quais ingredientes estão por trás do valor de cada mensalidade.

Como se formam os preços dos serviços? 

Na hora de definir o preço final de qualquer produto ou serviço, existem dois aspectos importantes: o financeiro (interno) e o mercadológico (externo). No caso do primeiro, o preço final de venda precisa cobrir o custo do que está sendo oferecido, ou seja, as despesas variáveis (por exemplo, pagamento dos serviços de hospitais e laboratórios) e as despesas fixas (como aluguel, salários, etc). O que sobra disso – quando sobra – é o tão esperado lucro líquido.

Já o aspecto mercadológico tem influência de fatores como o tempo de mercado, o conhecimento da marca, a quantidade de vendas e os valores praticados pelos concorrentes diretos. É aqui que entra nossa primeira dica de ouro: na hora de comparar preços de planos de saúde, entenda se os dois planos se encaixam na mesma categoria, ou seja, se oferecem produtos similares com a mesma qualidade.

Caso contrário, você pode acabar comparando um suco integral a um néctar de fruta. Tem fruta nos dois? Tem. Mas enquanto um é 100% feito de fruta, o outro pode ter só 20% dela. 

Gestora de saúde, porque um plano de saúde não é suficiente


Vamos aos ingredientes principais

No caso de um plano de saúde alguns ingredientes são comuns à maioria. 

Tipos de contratação de plano de saúde: plano empresarial, por adesão ou individual
Rede credenciada: hospitais, laboratórios e especialistas
Abrangência: nacional, estadual ou municipal
Tipo de acomodação: enfermaria ou apartamento
o que é coparticipação em plano de saúde


Como cada um desses itens influenciam no sabor, opa, no valor final de cada plano? A gente explica tudo. 


Os tipos de contratação de um plano


Tipos de contratação de plano de saúde: plano individual, plano coletivo por adesão ou plano coletivo empresarial


Qualidade da rede credenciada

Aqui é um ingrediente essencial que precisa muito da sua atenção. A primeira dica é entender se você está procurando algo pela qualidade ou quantidade. Tudo vai depender do seu contexto de vida e, é claro, dos seus interesses. 

Vamos pensar na cidade de São Paulo. Em geral, os planos com valores mais altos possuem opções com cobertura a hospitais mais reconhecidos e centrais. Já outros planos, com valores mais acessíveis, dão espaços para instituições menos conhecidas e, geralmente, menos centrais.

Além disso, cada hospital faz o seu próprio contrato com as operadoras de saúde, negociando valor e tipo de remuneração (por serviço, por resultado, etc). Tudo isso impacta diretamente no valor do seu plano final, seja ele pago pela empresa em que você trabalha ou por você.  

Aproveitando a analogia dos ingredientes, é como escolher entre um produto com insumos 100% orgânicos e outro com ingredientes industrializados. O segundo é mais barato, já que, geralmente, ganha na quantidade, mas nem sempre na qualidade. 

Existem alguns fatores que nos permitem avaliar a qualidade de um hospital ou laboratório do plano, como: tempo de mercado, tecnologia oferecida, reconhecimentos do setor (prêmios nacionais e internacionais, por exemplo), abrangência geográfica e atendimento e hotelaria (sabe o lanchinho depois do exame? Pois é).  


Outro fator que influencia nos valores é o tipo de acomodação no caso de internação. Existem dois tipos: enfermaria e apartamento. A maior diferença entre as duas formas de acomodação é que na enfermaria (também conhecida como acomodação coletiva), você divide o espaço com uma ou duas pessoas, dependendo do caso. Já no apartamento ou na acomodação individual, o espaço será apenas para o seu uso exclusivo.


E os especialistas, onde entram?

Ainda na rede credenciada temos os especialistas que atendem pelo plano. Quem nunca viu os famosos livrinhos do convênio, com páginas e páginas de nomes de profissionais da saúde e suas especialidades? Tá, hoje tudo isso está na internet, mas, ainda assim, pode ser difícil escolher entre tantas opções. 

Essa grande variedade faz com que as pessoas acabem indo por outro caminho: perguntar para alguma conhecida ou alguém da família se tem um médico para indicar. E se o profissional não atende pelo plano, vai atrás do tão usado reembolso.

"Isso acontece muito porque uma grande parte dos(as) especialistas de referência no mercado opta em não atender pelos planos de saúde por considerarem a remuneração por consulta dos planos muito inferior ao valor que cobram no particular.  

Por outro lado, um(a) profissional que atende por algum plano, e recebe um valor por consulta muito abaixo do que ele(a) ou algum colega pratica num atendimento particular, pode acabar precisando realizar vários atendimentos num mesmo dia, prejudicando o tempo final dedicado a cada um.  Por esse motivo, é essencial entender a qualidade e o nível de atendimento dos especialistas do seu plano, já que é um fator que pode sim impactar as consultas com especialistas.  


Coparticipação: tem ou não tem?

Esse ingrediente pode existir ou não, o que precisa estar muito bem explicado no seu contrato {o grande rótulo}. A coparticipação é quando o membro de um plano de saúde, além da mensalidade, cada vez que usa o plano paga um valor a mais, que pode ser um percentual do valor pago pelo plano para o procedimento feito; ou um valor fixo estabelecido no contrato.

Isso faz com que o preço da mensalidade seja mais baixo do que os planos sem coparticipação.  Além disso, é a forma que as operadoras de saúde encontraram para garantir um uso mais consciente dos serviços, com a contrapartida de um preço mais baixo. 

Mas antes de dizer "ótimo, é mais barato", é preciso entender: o quanto você costuma usar do seu plano e se você tem condições de pagar caso aconteça alguma eventualidade. 


Por fim, lembre-se: saúde não é gasto

Saúde é um investimento a curto, médio e longo prazos. Se você começar a investir desde cedo, no futuro, seu retorno será bem maior. Conhecer o que cada plano oferece te ajuda a encontrar a melhor opção para o seu momento de vida.  

Entendi, mas e na Alice, como funciona?

Alice tem todos esses ingredientes citados e alguns outros. Para deixá-los bem claros, achamos melhor criar nosso próprio rótulo. Quer ler? Clica aqui. 

Descubra tudo que a Alice pode fazer por você




Voltar para artigos